Google+

Esplar

Cadastre-se

Receba as novidades e as informações sobre o ESPLAR.

Notícias

Produtores e produtoras de óleo de gergelim inauguram galpão de beneficiamento

No município de Choró, Sertão Central cearense, onze agricultoras e quatro agricultores da localidade Riacho do Meio dominam o cultivo e beneficiamento de gergelim agroecológico. A partir deste ano, o grupo terá à disposição um espaço apropriado para extrair o óleo extravirgem, fazer a paçoca e ampliar a variedade da sua produção.

Durante três anos, a comunidade integrou o projeto Agroecologia em Movimento, realizado pelo Esplar, e aprendeu técnicas de beneficiamento desta semente, antes subaproveitada pelas pessoas dali. Em seguida, também com o apoio da ONG, adquiriram um moinho, criaram a marca Sementes do Sertão e iniciaram a venda. Em 2015, o grupo chegou a beneficiar 750 quilos da semente e vender 102 litros do óleo.

As encomendas dos vidrinhos de óleo de gergelim e da paçoca foram aumentando, devido ao sabor, às suas propriedades medicinais e ao alto valor nutricional: 100 gramas do gergelim têm grande concentração de proteínas, vitaminas, cálcio e potássio. Em 2017, os produtores e produtoras precisam de 1.200 quilos de gergelim para atender à procura dos/das clientes. 

 

“Nenhum de nós é melhor do que todos nós juntos” é o lema do grupo dos produtores e produtoras de Riacho do Meio, e , quando recebem pedidos, os/as jovens da comunidade trabalham juntos em todas as etapas: lavar o gergelim, secar, moer e envasar e empacotar. “Uns vão peneirar, sacudir, outros vão lavar, extrair o óleo e fazer a paçoca”, descreve Francisco Antônio Maciel Dantas, cujas principais colaborações são na compra de matéria-prima de boa qualidade e sem agrotóxicos e também na venda, pois em seu comércio podem ser encontrados os produtos do Sementes do Sertão.

Agora o trabalho do Grupo Jovens Sementes do Sertão aumentará e a estrutura também. Com recursos da Fundação Banco do Brasil, destinados à geração de renda para a juventude rural, e do Instituto C&A foi construído um galpão de beneficiamento e adquiridos equipamentos para o trabalho com o gergelim.

“É um sonho que o grupo está realizando, a felicidade é imensa”, diz Geane Barbosa uma das treze integrantes do Grupo.  A lavagem das sementes, antes feitas de manualmente, agora será em uma máquina específica para esta atividade. Lidiane Dantas, também produtora, diz que uma das etapas mais demoradas é a secagem. Nos dias nublados, o forno industrial poderá ser utilizado para agilizar o processo. O grupo também se organiza para comprar um prensa, a máquina dispensa a espera pela decantação e extrai o óleo pronto para o envasamento. A produção está sendo realizada na sede da associação comunitária, mas em breve passará para o novo espaço. “O galpão vai ter estrutura, equipamento, vai ajudar bastante”, diz Lidiane.

Colaboração de especialistas

No dia 23 de março, os beneficiadores/as receberam a engenheira de alimentos Maria Flávia Azevedo da Penha, responsável pelo Laboratório de Alimentos do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE Campus Baturité) e o agrônomo Enio Giuliano Girão, pesquisador da Embrapa e especialista no uso sustentável de recursos naturais e agricultura familiar no Nordeste. Os dois profissionais se voluntariaram a visitar as obras do galpão em Riacho do Meio e orientar sobre as normas técnicas exigidas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). 

Antes de começar a produzir, o grupo Sementes do Sertão passou por capacitações com os/as pesquisadores Embrapa Algodão de Campina Grande e da Embrapa Agroindústria Tropical de Fortaleza e descobriu técnicas de produção e beneficiamento do gergelim. Em 2013, os/as integrantes viajaram até a cidade de Tauá para participar de uma consultoria da microempresária Iraci Loiola de Sousa Amorim e conhecer novas receitas. Praticaram também com seus conterrâneos, Eliane Ramos e Antônio Alberto, os métodos aplicados pelos dois para extrair o óleo em suas casas. Na próxima fase, para trabalhar no novo galpão, os/as jovens terão treinamentos para utilizar os equipamentos industriais.

 

Parcerias

-Embrapa Algodão (Campina Grande): Ayice Chaves Silva; Vicente de Paula Queiroga; Paulo de Tarso Firmino; Júnior Cesar Fatinansi (projeto arquitetônico do galpão).

-Embrapa Agroindústria Tropical (Fortaleza): Antônio Calixto Lima; Enio Giuliano Girão; Helenira Ellery Marinho Vasconcelos; Leto Saraiva Rocha.

- Universidade Federal do Ceará: Professor Aécio Alves de Oliveira, curso de Economia Ecológica.

-Danilo Bezerra de Menezes (engenheiro voluntário responsável pela obra).

- Juliana Freitas Ferreira Lima (designer social voluntária  que facilitou a criação participativa da identidade visual da marca Sementes do Sertão).

-Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará: Maria Flávia Azevedo da Penha (IFCE, campus Baturité).

-Instituto C&A.

-Fundação Banco do Brasil.

voltar