Notícias

Agricultoras do projeto EPL na Marcha das Margaridas

Quinta, 05 Dezembro 2019 14:04

Cearenses do projeto Educação para a Liberdade participam da Marcha das Margaridas 2019 em Brasília

marcha margaridas

Mais de 100 mil mulheres se reuniram, em Brasília, durante a VI Marcha das Margaridas, que teve como tema “Margaridas na Luta por um Brasil com Soberania Popular, Democracia, Justiça, Igualdade e Livre de Violência”. Mulheres de todos os estados brasileiros, entre agricultoras, quilombolas, indígenas, pescadoras e extrativistas, percorreram a Esplanada dos Ministérios na tradicional passeata em 14 de agosto. Na delegação cearense, havia três mulheres dos projetos Educação para a Liberdade (EPL) e Contexto, executados pelo Esplar em parceria com a We World: Lúcia Lima, do assentamento Floresta; Antônia Rodrigues, do assentamento Passarinha; e Aparecida Oliveira, da comunidade Pereiros. No dia 13 de agosto, houve ainda a I Marcha das Mulheres Indígenas, que juntaram forças no dia seguinte à passeata das Margaridas.

marcha indigenas

Realizada desde 2000, a Marcha das Margaridas ocorre de quatro em quatro anos, em períodos próximos ao dia 12 de agosto, que marca a morte da trabalhadora rural e líder sindicalista Margarida Maria Alves. Em 1983, Margarida foi assassinada por lutar pelos direitos dos trabalhadores e das trabalhadoras rurais. De acordo com Daniella Alencar, técnica de gênero do Esplar, as mulheres que participaram dessa marcha demonstraram muito engajamento e consciência política. “Todas mostraram a relevância desse encontro nacional para a garantia de uma vida digna. Como os temas são assuntos de interesse das mulheres rurais, várias rodas de conversa aconteceram durante a viagem”, conta a técnica. Conforme Daniella, as mulheres participaram de oficina temática sobre enfrentamento à violência contra a mulher, mediada por Conceição Dantas, da Marcha Mundial das Mulheres, no espaço de acolhimento.